• Aumentar letra
  • Letra normal
início da área de conteúdo

1. Nota do autor

Imprimir

Acessibilidade na Web: É permitir que todas as pessoas tenham acesso à informação, sem barreias ou bloqueios, garantindo o direito do cidadão.

Esta Cartilha de Acessibilidade foi desenvolvida com o propósito de ajudar aos desenvolvedores Web a tornar seus Web Sites acessíveis, buscando orientá-los através de exemplos simples e práticos, seguindo as diretrizes internacionais do W3C/WAI - Web Acessibility Initiave - WCAG 1.0 -, e de minha experiência prática com acessibilidade.

Os parágrafos abaixo foram propositalmente criados com letras pretas e fundo preto, impossibilitando que uma pessoa que enxerga leia seu conteúdo, o que não acontece com quem estiver utilizando um programa leitor de telas. A criação desta página é uma forma de sensibilizar o usuário que não é afetado diretamente pela falta de acessibilidade a sentir o que realmente é uma Web não acessivel, sem informação.

Experimente pressionar as teclas CTRL + A e veja a quantidade de informação que está deixando de obter pela falta de acessibilidade.

O próximo item desta cartilha, 2. Introdução, repete integralmente o texto abaixo apresentado.

É inegável a "revolução" que a Internet causou no acesso e na disponibilização de informações em todo o mundo. As aplicações na educação, no comércio e em muitas outras atividades cotidianas crescem a cada dia. A ausência da necessidade do deslocamento físico é, talvez, um de seus principais atrativos. Não fazer distinção entre pele, credo, localização geográfica ou outro possível fator de discriminação ao seu usuário é, sem dúvida, um imenso avanço para a humanidade. Entretanto, o "espaço democrático por natureza" também pode trazer consigo alguns pontos negativos. A própria evolução das linguagens, dos recursos disponíveis e uma ânsia incontida de "fazer melhor" pode implicar a exclusão de alguns destes usuários devido a outras características pessoais.

Acessibilidade é a tradução operacional do direito básico de ir e vir, de forma independente, em todos os ambientes sejam físicos ou virtuais. Cabe a cada um de nós, como desenvolvedores e usuários da Internet, compreender um pouco sobre acessibilidade virtual e exigirmos, mais e mais, esta condição para que não surja uma nova categoria de "marginalizados" ou excluídos digitais.

1.1 O que é acessibilidade na Internet?

É possibilitar que uma maior quantidade de pessoas tenha acesso à informação, através da utilização de recursos naturais da própria linguagem HTML que permitem e facilitam que os sites e páginas da Internet possam ser lidos por todos, inclusive por pessoas cegas.

Existem diversos tipos de deficiências, além da deficiência visual, que tembém se beneficiam quando um site utilizas as técnicas de acessibilidade, como por exemplo: Daltonismo, Dislexia, Cognitivas, Baixa visão entre outras. Para saber mais acesse a página "Introdução de como pessoas com deficiência acessam a Internet", do W3C/WAI.

1.2 Existem diversas razões para a importância da acessibilidade na Internet


  • O uso da Internet vem crescendo cada vez mais em todas as áreas da sociedade;
  • Existem barreiras na Internet para muitas pessoas com deficiência;
  • Milhões de pessoas possuem deficiências que dificultam seu acesso à Internet;
  • Alguns países como, por exemplo, EUA e Portugal, possuem leis que obrigam dispor de acessibilidade em sites;
  • A Internet é a tecnologia que mais rapidamente cresce, e, para pessoas com deficiência, pode significar a abertura de novos horizontes;
  • A Internet vem se tornando uma importante fonte de recursos:
    • Notícias, informação, comércio, lazer;
    • Educação, aprendizado à distância, pesquisa de trabalho;
    • Um local de interação;
    • Participação cívica - Leis, informações governamentais, serviços;
    • Uma Internet acessível significa informação sem precedente;
  • De acordo com o Censo brasileiro de 2000, 14,5% da população brasileira era portadora de, pelo menos, uma das deficiências investigadas. Existiam 148 mil pessoas cegas e 2,4 milhões com grande dificuldade de enxergar (fonte Censo 2000 IBGE );
  • Existência do Decreto N° 5.296, de 2 de dezembro de 2004, que regulamenta a Lei 10.098, de 19 de dezembro de 2000, a qual estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida e dá outras providências;
  • O Brasil é signatário desde 01 de agosto de 2008 da Convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre os Direitos da Pessoas com Deficiência;

1.3 Porque resolvi aprender sobre acessibilidade na Internet?

Quando tive meu primeiro contato com a Internet, fiquei deslumbrado com a grande porta que se abria em termos de informação. Passei a ter acesso a conhecimentos que só existiam na forma impressa, muitas vezes de difícil localização e de alto custo.

No início do ano 2000, percebi que a Internet poderia ter um propósito muito maior do que aquele com o qual fiquei deslumbrado. Percebi que com a Internet uma pessoa com limitações poderia passar a ter acesso às mesmas informações às quais eu tinha e que poderia passar a ler livros, jornais, revistas, manuais técnicos, literaturas etc.

Achei isso tão fascinante que comecei a estudar sobre acessibilidade na Internet. Mudei uma antiga página pessoal que tinha, tornando-a acessível. O meu objetivo não era desenvolver uma página que pudesse ser navegada apenas por usuários com deficiência visual ou outro tipo de deficiência. Intencionava mostrar que uma página pode permitir acessibilidade a todos, bastando, para isso, que pequenas recomendações fossem seguidas. Tais recomendações serão abordadas nesta cartilha. Um outro forte fato que me fez ir adiante foi a possibilidade de proporcionar a uma amiga de trabalho, cega há 35 anos, a capacidade de ler sozinha, pela primeira vez, a versão on-line do jornal O Globo, uma das páginas mais acessadas do Brasil. Definitivamente, as portas de um novo mundo começavam a se abrir.